Connect with us

Novo Brasil Online

Hospital de campanha em BH que custou R$ 5 milhões será desmontado sem ter sido usado

BRASIL

Hospital de campanha em BH que custou R$ 5 milhões será desmontado sem ter sido usado

Governo de MG diz que não houve demanda de atendimentos na estrutura que custou R$ 5 milhões; equipamentos vão ser enviados a outras unidades.

O Governo de Minas Gerais vai começar a desmontar, nesta semana, o hospital de campanha instalado em Belo Horizonte para atender demandas da pandemia de covid-19. A estrutura, que custou R$ 5,3 milhões, nunca foi usada.

O anúncio foi feito pelo secretário-geral de Estado, Mateus Simões, durante um evento do governo, nesta quinta-feira (10).

Simões afirmou não há falta de leitos no Estado e que a ocupação na região metropolitana está estável, o que favoreceu a decisão que era analisada desde o mês passado. Segundo o secretário, os aparelhos que estavam no hospital serão reaproveitados.

— Lembrando que todas as camas e equipamentos vão ser absorvidos pelos serviços de saúde e de atendimento a idosos no Estado. Então não haverá perda de nada do que está ali.

O hospital de campanha está pronto desde o mês de abril. Ele foi construído com apoio da iniciativa privada, que arcou com aproximadamente R$ 4,7 milhões dos custos do projeto. Os outros R$ 800 mil foram pagos pelo Governo Estadual.

No mês de julho, a Governo Zema abriu a estrutura liberando 30% dos leitos previstos. O hospital foi preparado para ter 740 leitos de enfermaria e 28 de média complexidade.

No entanto, passados dois meses, a unidade não recebeu nenhum paciente. Isso, porque, segundo o governo, o centro foi montado para receber pacientes que ficassem sem atendimento nos hospitais da rede pública, o que não teria ocorrido.

Em agosto, a Secretaria de Saúde realocou para outras unidades de saúde os profissionais que iriam atuar no hospital de campanha.

Comentários
Continuar Lendo
Advertisement
Recomendamos para você..
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em BRASIL

Em Alta

Estamos no Twitter

BRASIL

To Top